19.11.11

Faces obscuras do amor

Quando ainda ele era jovem, perdia-se nas paixões e amores platônicos... isso sempre acontecia, desde de sua tenra infância. Ele a via e então imaginava um grande pedestal e a colocava lá, doce e intocável. Nem ao menos podia dirigir-se ela, pois era boa de mais, quase uma deusa.

Gostava muito de escutar, a-ha, Peter Cetera, alphaville, etc. Todas bandas românticas que fizeram sucesso nos anos 80 (oitenta). E que talvez tivessem piorado suas doces ilusões.

Não se sentia mal, muito pelo contrário, parecia real e ele estava protegido em seu mundo imaginário, onde tudo acontecia como ele previa, cada gota de chuva, cada balançar das árvores. Ele podia prever cada emoção que tivera com sua amada. Podia também ter dela tudo que quisesse.

Pode parecer absurdo mas era possível sentir o calor de seu abraço, o frio de nadar em um lago... mas jamais ele imaginava a dor de ser rejeitado ou abandonado.

Certo dia ele estava caminhando pelos grandes corredores da universidade em que estudava. Caminhava ao lado de seu único amigo enquanto conversava. Porém, sua atenção se desviou bruscamente para alguém que vinha em sua direção em sentido oposto. Era ela!!! A sua amada ilusão, vinha caminhando graciosamente conversando com suas amiguinhas...ele parou no meio do corredor, imóvel, seu amigo nada entendera.

Agora ele estava em um campo cheio de flores e ele a via correndo com um lindo vestido branco de princesa em direção a ele. Ela corria para o abraço.... mas ela passou por ele, simplesmente passou por ele.... deixando seu doce perfume. Era impossível pra ele imaginar, impossível! Era real , muito real.

Ei cara, vai ficar parado igual um idiota? Vamos logo, preciso comprar meu salgado gorduroso na cantina, mal posso viver sem ele. -disse o seu amigo.

Ele correu até o amigo:
-Ei , você não a viu?
-Quem?
-A garota de jaleco branco.
- Ah, acho que vi sim, porque?
-Ela não era linda?
-hum, bonitinha.

Bonitinha? Você não reparou em seus lindos olhos cor de mel e no seu gracioso jeito de andar? Seus cabelos claros que cuidadosamente ela ajeitava para trás da orelha; e o seu perfume? eu mal conseguia respirar... a forma como ela segurava os seus cadernos contra os seios. Tenho certeza que ela é muito estudiosa.

-humm, interessante, assim ela parece mesmo linda... Porque você não vai lá e diz isso pra ela? -disse o amigo, enquanto caminhavam em direção a cantina.

Mas como eu faria isso, ir lá e falar tudo isso pra ela. Isso é um absurdo como eu iria fazer isso, o que ela iria achar de mim?

Pobre garoto, ficou 6 (meses) pensando na melhor forma de se dirigir a ela... pensando em toda as hipóteses, tentando abarcar toda a realidade, como se fosse uma de suas ilusões.

Certo dia ele a viu, ela estava sentada sozinha em um banco próximo a cantina lendo um livro... então ele se aproximou calmamente. Ela desviou seu olhar compenetrado e eles se entreolharam......PAUSA : Passei 6 (seis) difíceis meses pensando em como dizer: "Olá".

Ela sorriu.

Nenhum comentário: