2.6.06

Faces da loucura.

Ela veio até mim e disse: o que eu faço Bruno? estou grávida!! O que eu faço meu amigo? Diga-me o que eu devo fazer, pois estou descontrolada.
Olhei para ela e não sabia o que fazer, meu coração se enchia de ódio e repúdio aquelas palavras. Caminhei para traz lentamente, estupefato... eu sentia um nojo incompreensível; eu queria mata-la e tirar-lhe o filho que havia em seu ventre. Não suportava aquela dor que dilacerava o meu peito e colocava fim ao meu desejo de forma tão brusca: um atentado a minha natureza.
Disse a ela para que jamais me dirigisse uma palavra se quer, pelo resto de seus dias. Virei o rosto e caminhei até a saída.
Maldito seja o demónio que me fez pensar dessa maneira. Eu estava lá... tão tranquilo e sereno caminhando de volta para casa. Quando ele me disse: O que vc faria em? O que vc faria se ela fizesse um filho com aquele crápula?
Eu ria como um louco e pensava: eu vou enlouquecer aqui e agora, no meio dessa gente que não sabe nem mesmo distinguir qualquer merda que esteja um palmo de distância de seus olhos. Finalmente voltei a mim e então, segurei com o braço esquerdo minha bolsa que normalmente uso pendurada em meu ombro. E com o braço esquerdo segurei a porcaria da lei que carregava de volta.... Olhei doravante e corri!!! Corri, Corri! Corri como nunca havia corrido em minha vida, corri tão rápido pela rua que não conseguiria distinguir a face das pessoas que ficavam para traz. Devo ter em menos de cinco segundos percorrido completamente àquela rua. Quando ao seu fim, parei, cansado e ofegante e com as pernas como se estivessem trincadas. Olhei para traz e via os demónios lá parados, incapazes de me perseguirem.

EU VENCI!!!!

2 comentários:

Edd disse...

... eu pensei uma coisa tão estranha lendo isso...

Como é contraditório o prazer de uma relação sexual, com o resultado natural disso, a criação do personagem grávida...

Uma coisa é puro prazer, a outra, decendência, responsabilidade, um bando de valor social, moral e seja lá o que for, só é um parasita dentro de uma mulher, que depois de um tempo, vira uma pessoa, assim dizendo, gente, então, todos somos parasitas super desenvolvidos, até porque, nossa interação social se baseia em parasitismo...

@_@

no mais, acho interessante a idéia do correr, colocada com demônios, onde no final das contas, você só seria um demônio, menos pior do que os outros, por ser melhor, ou simplesmente se achar melhor, porque isso basta, pra não ser um simples demônio imanente do simples verbo ser.

A colocação de demônio é interessante a um aspirante de ateu a propósito, se tu não vê demônio como algo ruim, como eu sei que não vê... é exatamente o que provavelmente tu é (exatamente provável?)

... ps... acho válido dizer que por você ser tão doentio, espero ter sorte de te ter como um bom amigo, te admiro, não sei se tu já reparou isso =)

Ragassi disse...

Obrigado pelas considerações e admiração. Sua análise é valida; a gravidez diz respeito a uma pessoa que conheço.. mas não importa.

Tudo que escrevo deve fazer mais sentido para quem lê do que para mim mesmo.

O lance de correr pela rua aconteceu de fato. =p